top of page
Buscar
  • mrodrigues74

Moradores de Brockton pressionam Healey por ajuda estatal

Habitação, cuidados infantis, serviços para jovens são as principais necessidades




Quando a procuradora-geral Maura Healey entrou na porta da frente da Associação Cabo-verdiana de Brockton na segunda-feira, foi recebida pelo diretor executivo da associação, vereador e ex-presidente interino Moises Rodrigues.

“Esperamos que você volte da próxima vez não como AG, mas como G”, disse ele, um endosso tácito à candidatura de Healey a governador.


Rodrigues então conduziu Healey pela sala de eventos, apresentando-a aos moradores locais, ativistas e outros funcionários eleitos.

Yves Cajuste contou a Healey como ele e 160 outros empresários se uniram para formar a Greater Brockton Minority Business Association, solicitou uma doação da SBA e foi lançada no mês passado.


"Então, o que você está fazendo?" perguntou Healey. “O objetivo é organizar”, disse Cajuste, explicando que poucas empresas da área de Brockton pertencentes a proprietários negros, cabo-verdianos, haitianos e latinos puderam aproveitar o Programa Federal de Proteção da Folha de Pagamento ou outras ajudas durante as paralisações da pandemia.


“O problema é a falta de informação”, disse. A organização realiza treinamentos para empresas, ajudando-as a desenvolver planos de negócios e melhorar sua presença na web e tomar outras medidas que podem melhorar suas chances de obter empréstimos.

Seguindo em frente, Healey conversou com donos de restaurantes, cabeleireiros e outros trabalhadores de negócios. Julian Logan fez perguntas pontuais a Healey sobre sua capacidade de cumprir suas promessas de campanha.


Healey, que jogava como armador no time de basquete de Harvard, tinha uma resposta pronta.

“A coisa sobre ser um armador é fazer com que as pessoas colaborem”, disse ela. “A maior estatística para os armadores não são os pontos. É assistências. Essa é a minha abordagem.”

Ela deu uma boa resposta, disse Logan depois de falar com Healey. Logan e outros residentes de Brockton na reunião expressaram preocupação com a assistência comercial. Eles também expressaram preocupações sobre serviços para jovens, acessibilidade de moradia, empregos e recursos para imigrantes.


A cidade de 105.000 habitantes é majoritariamente de cor, com mais de 10.000 pessoas se identificando como cabo-verdianas e uma crescente população haitiana. No átrio do edifício da Associação Cabo-verdiana pendem bandeiras de Porto Rico, Angola, Portugal, Haiti, República Dominicana e outros países representados pelos imigrantes que a organização sem fins lucrativos atende.


Um influxo de pessoas afro-americanas, haitianas, cabo-verdianas e latinas fugindo dos altos aluguéis e preços das casas de Boston nos últimos anos colocou pressão sobre o estoque de moradias da cidade, fazendo com que alguns moradores de Brockton se mudassem para o sul, para comunidades de baixa renda, como New Bedford e Fall. Rio, segundo Rodrigues.


Rodrigues disse que o que Brockton mais precisa é aumentar a ajuda estatal para assistência habitacional e programação para jovens. Quase metade do orçamento de US$ 493 milhões da cidade vem de ajuda estatal, mas quase US$ 24 milhões dessa ajuda vão para as escolas da cidade.


Clique aqui para ler o artigo completo do The Bay State Banner, 16 de abril de 2022.

2 visualizações

Comments


bottom of page